Mas é um Dragão ou um Wyvern?

Muito se discute na internet nos dias de hoje se os Dragões de Game of Thrones, ou se o Smaug dos filmes do Hobbit são Dragões, ou são Wyverns. E, afinal, o que é um Wyvern?

Como muito do que se encontra na internet, a frase “Isso não é um Dragão, é um Wyvern!” vem muito mais de uma modinha disseminada nas redes sociais, do que a opinião de quem realmente é fã da Fantasia Medieval. Quem costuma dizer isso, pouco leu e conhece de obras e lendas mais antigas de onde derivam essas bestas.

Antes de mais nada, vamos deixar claro para os senhores haters que venham opinar: Nem Dragões, nem Wyverns existem. E pouco importa como Hollywood decide mostrá-los nas telonas, ou na TV. Mas como bons nerds que somos, vamos aqui discutir, analisar e especular em cima de coisas que não existem. Porque é o que fazemos de melhor.

Pois bem. Disclaimer feito. Vamos começar.

 

Os Dragões são, a grosso modo, grandes répteis que cospem fogo. Essas bestas mágicas estão presentes em várias mitologias ao redor do mundo. Como, por exemplo, na mitologia celta, germânica, mesopotâmica, indiana, chinesa, japonesa, e por ai vai. Até mesmo o nosso Boitatá é um serpente gigante que cospe fogo. O que faz o Dragão ser um mito com milhares de anos.

 

 

Mas ai você me pergunta: “Hey! Mas você disse que o Boitatá é uma serpente que cospe fogo, serpente não tem patas, e Dragões tem 4 patas, enquanto Wyverns tem 2. É isso, eu vi na internet. Se tá na internet é verdade!”.

Bem, deixa eu te explicar, Leitor Imaginário. A palavra “Dragão” começou a ser usada na Europa, derivada da palavra grega “Drákon”, que era como os gregos chamavam as grandes serpentes. No momento em que os europeus passaram a conhecer a cultura de outros países, acabaram esbarrando em mitos similares de outras mitologias. Quando conheceram a lenda do Dragão Chinês, por exemplo, conhecido na China como Long, viram suas semelhanças com o Dragão de suas lendas e passaram a chamá-lo também de Dragão.

Depois de um tempo, várias criaturas com aparências bem diferentes passaram a ser chamadas de Dragões, tendo como única regra para serem chamados assim, que fossem grandes répteis que soltassem algum tipo baforada destrutiva. Seguindo esse requisito, até um animal real, que é um réptil grande e cospe um saliva infestada de bactérias que podem fazer você perder o local do corpo onde elas toquem, foi chamado assim, que é o Dragão-de-Komodo.

“Mas então, de qual dessas mitologias é o famoso Wyvern?”.

Muito boa sua pergunta, Leitor Imaginário. De nenhuma mitologia. Isso mesmo. O Wyvern nunca esteve presente em nenhuma mitologia, lenda, ou contos. Em nada mesmo. A origem dos Wyverns é relativamente recente. Vem do século XV, onde novas famílias nobres passaram a utilizar no brasão de suas casas um Dragão de apenas duas patas. Foi basicamente uma modinha da época, muitos passaram a utilizar aquele novo símbolo. Você, inclusive, conhece uma família dessas. A famosa Casa de Bragança, de onde vieram nossos imperadores, Dom Pedro I, e seu sucessor, Dom Pedro II. É possível até encontrar pinturas de Dom Pedro II onde ele usa ornamentos com este símbolo. Na época em questão, criou-se a palavra Wyvern pra nomear esse estilo de Dragão que tanto era utilizado.

 

É isso ai. Assim como dizer “Não é Dragão, é um Wyvern”, a origem do próprio Wyvern não passou de uma modinha do século XV. E o tão falado Wyvern, assim como o Dragão Chinês, ou o Boitatá, não passam de aparências diferentes de um mesmo estilo de lenda. Fazendo de um Wyvern um Dragão como todos os outros.

“Mas e agora? E todo mundo pra quem eu disse que não era um Dragão, mas um Wyvern?”

Relaxa, Leitor. O Dragão de Game of Thrones é sim um Wyvern. Mas um Wyvern é um Dragão. Então, no final, tanto faz. Mas lembrem-se: Todo Wyvern é um Dragão, mas nem todo Dragão é um Wyvern. E se vocês quiserem eu faço mais postagens explicando cada tipo de Dragão

Comentários

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *